Avaliação Neuropsicológica: por quê e para quê?

Queridos leitores, estou devendo este texto já faz um tempo. Hoje resolvi colocar algumas coisas em dia e isso inclui meu blog também =)

Para aqueles que pensam que eu vou ficar aqui reinventando a roda sobre o tema (já que está tão na moda), ou ainda, aqueles curiosos por saber qual teste pode ser aplicado em algum quadro de distúrbio neurológico, podem dar meia volta que não é nada disso.

O objetivo deste texto é justamente provocar vossas mentes para pensarmos juntos na real função da avaliação neuropsicológica. A resposta parece bem óbvia e bem intuitiva, mas não é tão simples assim. Então, antes de dizer o que eu penso sobre a avaliação, por quê e para quê ela serve, vou antes mencionar aquilo que grande parte das pessoas que trabalham com neuropsicologia já sabem. Para isso, vamos responder a seguinte pergunta:

  •  O que é Avaliação Neuropsicológica?

É uma atividade exercida geralmente por psicólogos, pois é a única profissão que regulamenta a utilização de testes psicológicos e neuropsicológicos.

Imagem

[Seu objetivo é investigar funções cognitivas (pensamento, atenção, memória, linguagem, percepção etc.) em pessoas que possam apresentar algum tipo de comprometimento cerebral, e relacionar com prejuízos comportamentais. Esta prática auxilia muito na observação do que está preservado e o que está comprometido.]

Alguns poucos anos estudando e trabalhando com neuropsicologia, avaliação e reabilitação me ajudaram a entender que essa prática não se resume apenas a isso. O uso de testes padronizados ainda é bastante escasso no Brasil, ainda não temos disponíveis medidas que nos ajudem a entender como a população brasileira se comporta diante de determinados fenômenos (nesse caso, queremos saber como os fenômenos cerebrais acontecem). Essa é uma das limitações que enfrentamos.

No entanto, quem trabalha com avaliação sabe que os testes são apenas ferramentas que ajudam a entender um quadro clínico naquele momento específico, como uma fotografia daquele momento do funcionamento cerebral do sujeito. E sabem, creio eu, que existem outras formas de avaliar que não seja com o uso de testes apenas. Nossa observação é um excelente crivo que podemos utilizar diante de um paciente.

Pois bem, mas então se não temos tantos testes assim para quê serve a avaliação, e por quê ela é importante? Em primeiro lugar, devo dizer que sim, a avaliação é extremamente importante, mas a prática limitada apenas a entender o funcionamento do paciente, o grau de comprometimento e a elaboração de um relatório, de nada auxilia esse sujeito se NADA for feito DEPOIS.

PORTANTO, a avaliação neuropsicológica tem a função de, além destas já apontadas, auxiliar na elaboração de um plano de intervenção, que é o que chamamos de Reabilitação Neuropsicológica, a cereja do nosso bolo!

Por isso eu sempre digo: avaliar para reabilitar. Precisamos oferecer o maior suporte que pudermos, minimizando, diminuindo, compensando os déficits e prejuízos causados por um acidente cerebral. Nosso objetivo de ouro é entender o funcionamento dos nossos pacientes em situações da vida real, e para isso, não precisamos apenas de testes, mas sim de um olhar voltado para como eles realizam suas atividades e tarefas diariamente: o que está difícil, o que naquele momento não é possível de se fazer, que suporte ele precisa, quem irá monitorá-lo… e por aí vai.

Imagem

Queremos que a avaliação nos direcione, que ela seja uma norteadora das nossas intervenções, para que possamos oferecer o maior nível de qualidade de vida possível a essas pessoas.

Dá para imaginar como eu amo esse trabalho, né?❤

7 pensamentos sobre “Avaliação Neuropsicológica: por quê e para quê?

  1. Parabéns Lu – Luciane Simonettia, mais um texto importante para nós estudiosos e praticantes das neurociências, bem como, para o público leigo. Porém, gostaria de ressaltar que quando você diz que: “…de nada auxilia esse sujeito. De nada auxilia em termos do que fazer depois. – Você “graças a Deus” se contradiz logo abaixo: ” PORTANTO, a avaliação neuropsicológica tem a função de, além destas já apontadas, auxiliar na elaboração de um plano de intervenção, que é o que chamamos de Reabilitação Neuropsicológica, a cereja do nosso bolo! Por isso eu sempre digo: avaliar para reabilitar”. Ou seja a avaliação neuropsicológica auxilia sim, a partir do momento que unimos o quantitativo (por mais limitado que seja em termos de instrumentos brasileiros) com o qualitativo (nossa visão do ser humano/paciente naquela condição presente e suas dificuldades na vida diária) e buscamos encaminha-lo aos devidos profissionais que irão nos auxiliar a ajuda-lo. Afinal é uma benção nosso trabalho ser multidisciplinar!

  2. Muito bacana este artigo Luciane.
    Parabéns pela iniciativa do Blog.
    De agora em diante vou acompanhá-lo pra ficar por dentro dos assuntos tratados em seu blog. Por sinal, interessantíssimos.

    Abraços e mais uma vez parabéns pelo trabalho realizado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s