Aprendendo sobre Neuropsicologia: como fazer?

Ei, você que tem um interesse especial pela Neuropsicologia: já parou para pensar nos diferentes tipos de formação nessa área que tem sido oferecidos aqui no Brasil? Atualmente temos diferentes opções que podem te ajudar a aprender sobre o assunto, desde estágio em hospitais e serviços de neurologia, centros de reabilitação, além de fazer algum curso de especialização. Mas, como saber a atividade que melhor irá atender às suas necessidades num primeiro momento? Como decidir entre cada uma delas, pensando que na maioria das vezes não se pode fazer tudo ao mesmo tempo? E finalmente, como saber se o que você sabe e aprendeu é importante e suficiente para futuramente trabalhar nessa área?

Vamos por partes. É importante que você analise cada opção antes de tomar uma decisão. Vou tentar listar aqui algumas atividades que devem ser pensadas com calma, e que eu diria são decisivas para você que quer investir na carreira de Neuropsicologia.

10250275_10202262974083957_5971097226817693258_n

Primeiro você deve ter em mente que é preciso:
• Estudar a fundo e de modo sistemático sobre cérebro, cognição e comportamento e entender a relação entre eles em pessoas saudáveis ou com algum comprometimento neurológico.

• Dedicar seu tempo periodicamente ao estudo do funcionamento cerebral, funções cognitivas (atenção, memória, funções executivas etc.), conhecer sobre testes neuropsicológicos e práticas de reabilitação, e sim, ter a prática de todo este conhecimento.

• Ter postura proativa para estabelecer boas relações com colegas, mentores, professores, supervisores, pois isso abre portas para você investir na sua carreira.

Certo. E como fazer isso? Cursos de especialização em Neuropsicologia. Procure se informar sobre os horários do curso, se você se encaixa neles, quem são os professores, se a proposta curricular oferece o que você precisa e quer aprender. Para facilitar vossas vidas, aqui vai uma super dica de um curso do qual conheço os profissionais envolvidos, professores (alguns colegas, inclusive). O link é este aqui e este aqui. Tem uma sessão “depoimentos” que novos futuros alunos podem ler para saber um pouco da experiência que alunos já formados tiveram. Ligue, se informe, pergunte.

Segundo:
• Você deve pedir referências sobre a atuação nessa área para pessoas que já trabalham nela, perguntar como é a dinâmica do trabalho, e como fazer para conseguir oportunidades. Aqui você vai fazendo seu networking também.

• Pesquise os centros, hospitais, profissionais da área de saúde, tire dúvidas com eles (por quê, não?) e tente um estágio com início, meio e fim, com um objetivo claro. Existem vários hospitais, clínicas, centros, mas claro que vou citar mais uma vez o lugar do qual eu tenho formação e ainda continuo. O Centro Paulista de Neuropsicologia.

Só para deixar claro: a ordem que eu expus aqui é só para facilitar a vida, mas não é uma regra. Além disso, nada impede que você faça atividades paralelas, basta conseguir administrar seu tempo, e conseguir delimitar minimamente com o quê gostaria de trabalhar (crianças, adultos, idosos, pacientes com lesões, demências, transtornos do desenvolvimento ou da aprendizagem etc.) para saber que tipo de aprendizagem, formação e contatos profissionais você precisa desenvolver.

Terceiro:
• Encare como um desafio, mas um desafio prazeroso. Não é fácil estudar um tema tão complexo como cérebro, comportamento, cognição. Mas uma coisa eu garanto, quem gosta do que faz, quem dá sentido ao seu trabalho no final das contas sente que está contribuindo com algo, fazendo alguma diferença. Pelo menos eu me sinto assim🙂

Além dos cursos de especialização, existem os cursos complementares que nos atualizam, nos coloca em contato com outros profissionais, nos dá um norte, principalmente quando ainda estamos tentando definir com o que trabalhar.

Vou deixar aqui duas recomendações:

1) Curso de Extensão: Reabilitação Neuropsicológica na Infância, oferecido pelo Centro Paulista de Neuropsicologia (clique aqui). No site do centro sempre há oferta de cursos, por isso, fique de olho.

2) Deixo o folder do Curso de Especialização da sede de São Paulo do qual citei acima. Confiram!

10403434_717559144959240_3781464982045845887_n

15 pensamentos sobre “Aprendendo sobre Neuropsicologia: como fazer?

  1. Oi, Luciane! Tudo bom? Acompanho seus posts e adoro! Vc tem um jeito claro e envolvente de escrever…
    Moro no Rio, vc tem alguma indicação de curso de especialização por aqui?
    Abraço grande! Parabéns!!!!!

    • Olá Adriana! Fico feliz que tenhas acompanhado o blog e pelo feedback. Respondendo sua pergunta: o único que eu recomendaria porque é o que eu conheço e ouvi falar é o oferecido pelo IBNeuro. Eu não sei quando abre nova turma, então o ideal é você tentar se informar, conseguir o contato da coordenação, tirar dúvidas mesmo. Tem vários cursos rolando pelo Brasil que são complementares aos de especialização. Vou incluir no meu post😉
      Um abraço e continue acompanhando.

  2. Oi Lu, também considero muito importante a pessoa se envolver de corpo e “cérebro” nos estudos, você é uma prova viva disso. Se dedicou e olha que profissional esta sendo. Desejo SUCESSO!

  3. Oi Luciane, adorei esse post pois veio bem de encontro a mim! Sou Psicopedagoga e estou a procura de me aprofundar no conhecimento da Neuropsicologia, para poder melhor desenvolver o meu trabalho com as crianças! Apesar de ver apenas agora o folder sobre a especialização, vou procurar me informar sobre novas datas, Um grande abraço, parabéns e obrigada pelo blog.

  4. Oi Rose, que bom que você encontrou meu texto então! Eu que agradeço! Fico bem feliz quando meus seguidores gostam do que escrevo. Quanto ao curso, ele é aberto todos os anos, creio que no início do ano que vem já terão inscrições abertas. É só ficar de olho mesmo. Um abraço, e continue acompanhando. Abração!

  5. Olá Luciane,
    Estou gostando muito de seus textos.Estou no 4º período de Psicologia e estou me interessando pela área de neuropsicologia.Mas,ainda tenho duvidas sobre essa área.Por exemplo:Como é o trabalho do neuropsicólogo?Ele trabalha em clínica,hospitais,….?Quais materiais devo estudar?Qual é o salário de um neuropsicologo?Tem campo no Brasil?

    Obrigado!

  6. Olá Luciane,Estou gostando muito de seus textos.Estou no 4º Período de psicologia e me interessei por essa área,mas tenho algumas dúvidas ainda,Por exemplo:Onde um Neuropsicólogo atua?Em clínicas,hospitais,ou é só uma especialização?E como é esse trabalho?Essa área é promissora no Brasil?Qual o salário de um neuropsicólogo?

    Obrigado!

    • Olá João! Fico feliz que esteja gostando. Neuropsicólogo pode atuar em diversas áreas: clínica particular, clínica interdisciplinar, hospitais, grandes centros de diagnóstico e reabilitação, serviços ambulatoriais. Enfim… Muito campo. O trabalho do neuropsicólogo pode ser o de avaliar pacientes e reabilitar, fazer tratamento. No Brasil estamos crescendo bastante, ainda temos muito pra percorrer, mas estamos sendo mais reconhecidos do que há 10 anos atrás, por exemplo. O salário varia de acordo com o seu trabalho. Se você for concursado trabalhará de 20 a 30 horas semanais por um salário que pode variar de 1800,00 a 2500,00. Se você trabalhar em consultório particular vai depender de quanto cobrará cada avaliação que fizer. Há um piso de valores no site do CFP, então você pode consultar lá também. Um abraço!

  7. Ótimo texto!
    Apenas com a Graduação em psicologia eu posso ser um neuropsicólogo ou é um pré-requisito a especialização?

    Grata!

    • OI Amanda! Você pode trabalhar como neuropsicóloga sim, mesmo sem a especialização. A única coisa que você não pode é dizer que é especialista sem ter feito. Muitas pessoas colocam que são especialistas, mas não fizeram pós nem prova de títulos, aí não pode mesmo. Abs!

  8. Olá Luciane, adorei seu post me identifiquei muito com as questões que você levantou. Sou psicóloga, fiquei para por um tempo e gora quero voltar e estou pensando em fazer especialização em neuropsicologia, li sobre o assunto e me identifiquei. Minha dificuldade é disponibilidade de tempo, por isso estou pensando em fazer a distância, mas tenho medo de não ser um bom investimento. Olhei na IBNeuro conhece? Será uma boa opção fazer a distância?
    Desde já agradeço.

    • Boa tarde, Tatiana! Eu sempre recomendo que seja presencial, mas se você se dedicar bastante nos estudos você tem condições de aprender tanto quanto. Porém, uma coisa essencial nesses cursos é que você tenha o estágio supervisionado para atendimento de casos clínicos. Veja se na programação do curso há isso e se informe porque isso faz toda diferença. Abs!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s