Meu vídeo está no ar!

Gente querida e seguidora do meu blog! Passados quase um mês agora consegui finalmente sentar aqui na frente da telinha para postar a vídeoconferência promovida pela Fundap. Já estamos em 300 e poucas visualizações e fico feliz pelo retorno que tive das pessoas que me conhecem.

Uma dica: reservem um tempo para assistir, porque o vídeo dura quase uma hora (58 minutos) e também porque no final da apresentação eu mostro algumas dicas essenciais de como podemos processar as tomadas de decisões de uma forma mais efetiva no nosso dia a dia.

[CLIQUEM]

6715db58b254f4acc72e2ef45b8d55c4x

Acima, segue o link do vídeo que está disponível no Youtube. Também colocarei no site (www.cienciadocerebro.com) para aqueles que ainda não sabem que esse blog existe.

Se quiserem comentar, criticar, construir conhecimento comigo ficarei muito agradecida.

Elogios também são bem vindos, heheh! Aproveitem!

Anúncios

Vídeoconferência pela Fundap

Minha gente que me segue aqui, no site ou no Facebook, tenho novidades! Esta semana estarei numa vídeoconferência promovida pela Fundap de São Paulo sobre Tomada de Decisão e como podemos desenvolver e aplicar estratégias cognitivas e comportamentais no nosso dia a dia.

Será dia 24/09 às 10:00 horas ao vivo pela Internet. Neste folder de divulgação consta o endereço de acesso. Para quem não puder ver na hora, pode depois conferir o vídeo que estará disponível no YouTube.

Vai ser uma ótima oportunidade para quem está interessado em saber um pouco mais sobre essa função executiva tão essencial.

Espero vocês lá! =)

12011226_1033132846711384_8537538681764582199_n

Grandes figuras, grandes legados

Há quase dois anos atrás publiquei um texto sobre o legado deixado por três grandes influências para a Neurociência e Neuropsicologia. Você pode encontrar esse texto aqui.

Agora, após ter concluído um trabalho importante para minha formação e ter recebido uma resposta da assistente pessoal do Dr. Sacks, Kate Edgar  resolvi dedicar algumas poucas palavras para expressar meu profundo sentimento de gratidão, com um misto de plenitude e euforia.

Euforia. É assim que nos sentimos quando concluímos um trabalho, um projeto grande, uma parceria…

Plenitude. Uma sensação de missão cumprida, de conclusão, de finitude, de paz.

Gratidão. Um sentimento que é mais que um sentimento. É um estado de espírito, algo que às vezes não cabe dentro da gente.

Tenho me sentido assim ultimamente, porque tive a oportunidade e o privilégio de trabalhar com grandes pesquisadores, mas acima de tudo com grandes seres humanos. Meu orientador, prof. Orlando Bueno é uma dessas pessoas. Mais que um orientador ele foi e é um inspirador, assim como o Dr. Oliver Sacks.

É assim que nos sentimentos quando olhamos para trás e vemos o resultado do nosso trabalho, tendo podido contar com pessoas tão importantes para nós. Nosso cérebro sempre agradece. Nossas sinapses estão lá, todas eufóricas, cheias de serotonina, noradrenalina e dopamina. Que beleza mesmo! Assim ele vai aprendendo a “comportar-se” de novo da mesma forma em busca de outros grandes e novos projetos.

Sem título

Não tenho dúvidas do quanto pessoas como o Prof. Orlando e o Dr. Sacks também sentem-se plenos em seu trabalho, seja quando recebem um e-mail em resposta a um artigo, ou quando publicam um novo livro. Quando contribuem com a sociedade científica, ou quando fazem a diferença na vida das pessoas.

O Dr. Sacks recentemente escreveu um artigo ao New York Times para despedir-se de todos nós, pois descobriu que está com câncer terminal e em breve nos deixará. Tocada com essa realidade, resolvi escrever à ele para agradecer-lhe por tudo. Os e-mails na íntegra vocês podem encontrar ao final e a despedida dele você pode ver aqui.

Agora, apenas para finalizar o propósito deste texto recentemente tive a chance de aprender um pouco mais sobre “vocação” numa reunião com algumas das pessoas mais queridas que conheço. Concluí que podemos pensar no assunto do ponto de vista religioso, claro, mas também podemos refletir sobre a vocação de um panorama geral. Sem dúvida alguma, o Dr. Sacks dedicou toda sua vida para contribuir com um mundo melhor. Estudou incansavelmente para descobrir novas possibilidades de tratamento, ou para publicar livros contando seus casos clínicos. Ele tem essa vocação para tocar as pessoas, para transformar o ser humano. A sua finalidade aqui na terra é a sua missão como pessoa e como médico e pesquisador. Acho que vale a pena refletirmos sobre nossa vocação e finalidade por aqui e tentar responder: “que legado eu quero deixar?”.

Nesse momento, posso dizer que o Dr. Sacks e o prof. Orlando são dois dos meus grandes inspiradores pessoais e científicos cuja vocação é fazer a diferença. Um Oliver, um Orlando. Dois inícios com “O”. “O” de OBRIGADA!

_________________________________________________________________________________________________

Segue agora na íntegra os e-mails que trocamos:

09/06/2015:

Dear Dr. Sacks,

My name is Luciane Simonetti, I’m a psychologist from Brazil and work with rehabilitation and research in the neuropsychology field. I read your article on the New York Times entitled “My own life” some time ago, but only now took the courage to write you this e-mail. I hope this message finds you well.

I have to say that upon reading your article I was overwhelmed with a bittersweet feeling of sorrow and joy, a deep commotion that left me wanting to say some many things about it, but with many doubts on how to express them correctly. I finally decided that being the most direct and upfront I could be was the only way I could write what I wanted to write without taking too much of your time, so here it goes.

The sadness I felt came from the sinking realization of an early “goodbye”, like the feeling you get when that person you never want to see going away start giving signs that they might be leaving soon.  But at the same time, I couldn’t help to feel happy to have the opportunity of getting to know and coexist with such a remarkable and outstanding body of work and life story such as yours. To me, you are one of the few remaining living people that can truly be associated with greatness , and I was deeply moved and admired by the serenity and intelligence of your article.

I feel bad that you might have to go, but I really feel happy that you were here in the first place. Such is life. I leave you my profound gratitude for the article, but most of all I thank you for your legacy and everything you left with us. We are heirs of your knowledge, your studies and researches, your humanity and, above all, your sensibility to understand and empathize with your patients.

From the bottom of my heart, thank you for all your clinical and scientific contributions and for being the amazing person that you are.

Hope to hear from you.

Sincerely,

Luciane Simonetti, São Paulo – Brazil

Resposta:

20/07/2015

Dear Dr. Simonetti,

Thank you for your very nice email via our website. I will pass it along to Dr. Sacks. I have not published it on the website because I was not sure whether you intended it for web publication.

Best wishes, Kate Edgar

OLIVER SACKS, M.D.

Professor of Neurology

NYU School of Medicine

Novo E-mail:

25/07/2015

Dear Ms. Edgar,

Thanks a lot for answering me. I was thrilled to see your email in my inbox, and now I’m even more so knowing that my message is reaching Dr. Sacks directly. He is one of the biggest influences not only on my work and scientific studies, but on my perception of life and humanity. So the thought of him actually reading something I wrote is enough to bring a smile to my face.

In my previous e-mail, I didn’t had any intention other than expressing my feelings towards Dr. Sack’s article (and Dr. Sacks himself), but of course I would be extremely happy to see it published on the website or anywhere else.

Thanks for the compliment and taking the time to answer me, and If you are ever interested in knowing a bit more about Brazilian studies on Neuropsychology and rehabilitation, I would be pleased to talk about it.

Once again, thank you very much.

My regards to you and Dr. Sacks,

Luciane Simonetti

Resposta:

10/08/2015

Thank you very much for your recent email to Dr. Sacks. He is grateful for and moved by your concern and your good thoughts. Apologies for the impersonal reply, but we do want to let you know how much we appreciate your message.

best wishes,

Kate Edgar

OLIVER SACKS, M.D.

Professor of Neurology

NYU School of Medicine